Canal Fotografia - Galeria Fotográfica dos membros / Galeria de Arte
Galeria / Ver Fotografia
GaleriaFotos mais recentesComentários mais recentesInserir FotoVotação de TemasAdicionar TemasInformações
<< E eu é que sou o burro??!!

>>
© Reservam-se os direitos da imagem ao autor Cinha
Título:
E eu é que sou o burro??!! Detalhes Exif
Autor: Cinha
Descrição: Burro Mirandês
Tirada de dentro do carro algures na raia a 14.6.2008

O burro foi considerado, durante muito tempo, um bem imprescindível na exploração agrícola, quer pela sua força e capacidade de trabalho como pela sua facilidade de adaptação e resistência a condições de subsistência bastante difíceis. Nesses tempos, era o meio de transporte por excelência, com capacidade de transportar grandes cargas por caminhos tortuosos. No entanto, nos nossos dias, com o avançar da mecanização agrícola e o abandono das práticas tradicionais, o burro tem sido colocado numa posição secundária no mundo rural, sendo mesmo por vezes abandonado e mal tratado.
A região transmontana do Planalto Mirandês, talvez graças ao seu isolamento causado pela sua localização geográfica, conserva não só características naturais ímpares, mas também mantém vivas as suas tradições culturais milenares, nomeadamente, o uso do burro nos trabalhos agrícolas.
É ainda habitual nesta região do interior a organização de Feiras de Gado, onde se pratica a venda dos burricos nascidos na Primavera, prática já quase inexistente noutras regiões do País.
Este apego das gentes de Miranda aos seus fiéis e incansáveis companheiros de viagem e de trabalho proporcionou o aparecimento de um pequeno grupo diferenciado de exemplares de gado asinino, caracterizados por uma pelagem castanha abundante e comprida, que adquire a cor branca no focinho e contorno dos olhos. Este reduzido efectivo de características idênticas foi estudado pelo Serviço Nacional Coudélico (Ministério da Agricultura, Pescas e Florestas), tendo sido reconhecido como raça autóctone (denominada Raça Asinina das Terras de Miranda). O interesse por esses animais foi despertado pelo Parque Natural do Douro Internacional, através dos resultados atingidos num outro estudo, que proporcionaram conclusões interessantes que justificaram o início do processo de criação de uma nova raça autóctone.
Mas tal como muitas das raças autóctones do nosso País, também esta passa por grandes dificuldades para escapar à extinção. A tendência crescente dos criadores para recorrer à hibridação e a cruzamentos com animais de raças e variedades diferentes, tem levado à diluição e consequente desaparecimento do padrão característico da raça. Tudo isto é agravado pela cada vez menor utilidade do burro na moderna economia rural.
Com o propósito de salvar e estudar este importante património genético nacional nasceu a Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino (AEPGA), que aposta não só na recuperação do efectivo da raça, mas também na valorização da imagem do burro como forma de estimular o interesse público para o problema da sua extinção.


Preferida de:
Votação:
Muito Bom (5 votos) Lista de Votos
Comentários
efe :) Responder
nitro :)) Responder
nair :) Responder
Xuxu ei altamente!! Responder
Vangelis Por tudo. Responder

Galeria
Registar!
Esqueci-me da password
user:
pass:
Auto

Login with Facebook


Novidades

Concurso
Tema:Chuva

Galeria

Membros
  • elmer1493ninge
  • sgtcharissalittle
  • gregorycratt
  • Artigos
  • Fotografando com FILTROS: Quando usar os filtros mais popula...
  • Livros de Fotografia - Autores portugueses
  • Sugestões básicas - Linguagem Fotográfica - parte l
  • Links
  • Fotos e palavras para sentir...
  • Primeiros passos
  • Eventos
  • Curso de técnicas de fotografia
  • Workshop de Flash Portàtil
  • Curso básico de Fotografia
  • Anúncios
  • Canon 700D
  • Canon EF 100-400mm f/4.5-5.6L IS USM
  • Material de Estúdio diverso


  • Regras/Regulamento do Site | Disclaimer | Qualquer problema, dúvida ou questão... | Coloque um Link para o Canalfoto.org no seu site

    Todas as informações e fotografias são da única e exclusiva responsabilidade de quem as insere
    © 2003-2022 Rui Santos. Todos os Direitos Reservados.